Related Posts Plugin for WordPress, Blogger... "Conquistando um Sonho" Conquistando um Sonho: Fevereiro 2011
"MINHA CIRURGIA FOI DIA 6 DE MARÇO DE 2012

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

"ORGANIZADOR DE MEIAS OU SUTIEN
FEITO DE GARRAFAS PET"


Muito legal essa ideia, é só cortar a garrafa pet bem na marca lá em baixo e depois passar uma rendinha, pronto! Vc tem um belo organizador de gavetas...

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011


Que vontade de fazer a cirurgia de redução do estômago, mas infelizmente não tenho condição financeira para isso...

O número de pessoas fazendo a drástica cirurgia de redução do estômago, para tratar a obesidade, irá subir muito nos próximos anos porque será a única maneira que possibilitará a muitas pessoas conseguir manter a perda de peso necessária para uma vida saudável, segundo cientistas.

Fazer dietas e outras mudanças de estilo de vida podem levar a um emagrecimento substancial. Mas muitas pessoas, de acordo com os pesquisadores, acham difícil manter a perda de peso por causa das mudanças nos níveis hormonais, fazendo com que o corpo queira produzir mais gordura.

•Cirurgia Gratuita
“Um vez que você começa a perder peso ao reduzir a ingestão de calorias seu corpo interpreta isso como inanição e entra em “alerta vermelho”, lutando para manter os depósitos de gordural”, explicou Rachel Batterham, da Universidade College London, na Inglaterra. “Então você está lutando contra o seu corpo enquanto perde peso.”

Cirurgia de redução do estômago não serão mais feitas apenas para pessoas com obesidade mórbida, mas serão oferecidas para homens e mulheres em sobrepeso como uma forma de prevenção de doenças, da mesma maneira que as estatinas são oferecidas para prevenir doenças cardíacas, disseram. Novas técnicas não de cirurgia bariátrica estão nascendo a cada dia.

No Reino Unido, ao menos 10 vezes mais pessoas que realizaram cirurgia bariátrica para redução do estômago pela saúde pública se qualificam para realizar uma, de acordo com os pesquisadores, que acreditam que não tem sido feito o suficiente para informar os pacientes obesos sobre os benefícios da cirurgia.

“Cirurgia é atualmente o único tratamento efetivo contra a obesidade… Não apenas ajuda as pessoas a perderem peso ao reduzir fisicamente a quantidade de comida que ingerem, mas também altera seu perfil hormonal, significando que eles sentem menos fome e então passa a ser muito mais fácil manter a perda de peso”, disse Rachel.

Uma quantidade cada vez maior de homens e mulheres entrarão na categoria para cirurgia bariátrica, onde o estômago é grampeado ou desviado ao levar a comida diretamente ao intestino delgado.

Pessoas severamente obesas com o índice de massa corporal (IMC) 35 já se qualificam para o procedimento e estudos mostraram que mesmo a operação tem um risco pequeno, os benefícios à longo prazo são maiores do que para pacientes tratados com medicamentos ou mudanças de estilo de vida, disseram cientistas.

“A única maneira provada de perder peso e viver mais é fazendo cirurgia de obesidade” disse Carel Le Roux do Imperial College London. “Este tipo de cirurgia, no entanto, não o torna magro, nem irá torná-lo feliz, apenas o deixará mais saudável… Se nós teremos baixos níveis de mortalidade futuramente, nós deveríamos nos perguntar: Porque isso não está disponível para mais pacientes e porque nós restringimos nossos pacientes ao IMC 35?”

“É justo reduzir outras medicações como as estatinas? Nós restringimos a estatinas às pessoas que já tiveram ataques cardíacos? Não, nós damos o medicamento a pessoas com risco de ataques cardíacos.”

No Brasil o caso é similar. Os planos de saúde são obrigados a disponibilizar a cirurgia de redução de estômago para pessoas com obesidade mórbida, mas não para pessoas simplesmente obesas ou em sobrepeso. Estudos mostraram que os planos de saúde recuperam o dinheiro gasto com o procedimento em apenas dois anos, pela redução de problemas de saúde dos seus clientes.

A primeira cirurgia de redução de estômago grátis realizada pelo SUS (Sistema Único de Saúde) ocorreu no mês passado, em João Pessoa, na Paraíba. Os custos (R$ 4.800,00) foram arcados pelo município.

Uma crença generalizada levou os médicos a acreditarem que as cirurgias bariátricas reduziam a absorção dos alimentos, mas estudos recentes mostraram que em a realidade a operação altera os níveis de hormônios que controlam a fome, disse Rachel.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

"PRATELEIRAS DE CESTA"


Sabe aquelas cestas que vc ganha com café da manhã oiu algum outro presente e não sabe o que fazer com elas?
Pois é é só colocá-las na parede para servirem de prateleiras, além de lindo é prático